Category Archives: Comunismo

Socialismos…

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Comunismo, Socialismo

Black Friday e Black Tuesday

‘Black Friday’ shop-a-thon draws bargain-hunters

What could be biggest shopping day of the year off to good start

Marketing é marketing, aqui nesta terra de gente mesquinha,  ou em qualquer parte do mundo, excepto obviamente no “Mundo Socialista”.
Claro está,  isto nunca aconteceria em Cuba ou na Coreia do Norte. Porquê? Pela simples razão, de não haver produtos ou  bens de consumo,  nem super-mercados.

Não sabe o que é um Black Friday? Consulte este link aqui.  (p. exemplo)

Mas por favor vamos-nos deixar de indignações da treta!

Deixe um comentário

Filed under Comunismo, Desesperados, Política Caseira, Portugal

Noticias do parque jurássico português.

Nunca é demais lembrar onde chega a hipocrisia ou a manipulação ideológica!

Novos episódios do parque jurássico do PCP

… … …

 Deu para perceber que o PCP ainda tem um estalinista, pior, um estalinista de 30 anos, a saber: Miguel Tiago. 

Vale a pena ler aqui a piada pela pena de Henrique Raposo.  

 

Deixe um comentário

Filed under Comunismo, Dinossauros, Política Caseira

Brigadeiro Mata Frakuzx -Esclarecimentos

Depois das ideias que se criaram em torno da sua personalidade, Brigadeiro Mata Frakuxz vem ao público mais uma vez para fazer alguns esclarecimentos sobre a sua intervenção e envolvimento em torno dos acontecimentos referentes aos dias 27 de Fevereiro e 7 de Março respectivamente.

 

Deixe um comentário

Filed under Angola, África, Cidadania, Comunismo, Direitos Humanos

Tortura no RALIS em Maio de 1975

Via Corta-Fitas

[…]

Em Maio de 1975, durante o glorioso PREC, Marcelino da Mata foi detido pela tropa fandanga, essa que a nossa esquerda muito aprecia ainda. Esteve preso e foi espancado no RALIS durante 6 horas, tendo sido levado para Caxias, onde foi encarcerado em regime incomunicável durante 90 dias. Descreve assim a tortura a que foi submetido peloscomissários comunistas: “Apareceu depois das 24:00 um indivíduo alto, forte e de cabelo e barba compridos que, intitulando-se segundo-comandante do RALIS – mas que depois vim a saber que se tratava de um militante do MRPP conhecido por Ribeiro –, me estendeu um papel para aí eu escrever tudo o que sabia sobre o ELP. […] Uma vez que jamais tinha ligação com o ELP ou qualquer organização outra, respondi-lhes negativamente. […] o capitão Quinhones ordenou que me fossem batendo à bruta até que eu confessasse. Apareceu então o [comandante do RALIS] tenente-coronel Leal de Almeida que [apesar de muito bem conhecer da Guiné o deponente] me disse que os pretos só falavam quando levavam porrada e eram torturados, e que não tinha outra solução senão ordenar que me fizessem isso.

Ordenou o capitão Quinhones que me encostassem à parede e despisse a camisa, o que tive de fazer. Após isto, fui agredido sete vezes com uma cadeira de ferro nas costas, o que me provocou vários ferimentos. Não resistindo caí, mas o capitão Quinhones disse que me pusesse de joelhos e um outro indivíduo que entrou intitulando-se oficial de marinha, agrediu-me mais duas vezes com a cadeira. Após isto o capitão Quinhones e o furriel Duarte, um de cada lado, agrediram-me com o cinturão por todo o corpo e eu, que já sentia dores na coluna, senti dores nas costelas e caí novamente no chão. O capitão Quinhones ria-se e dizia que o tenente-coronel Leal de Almeida queria que eu falasse nem que eu ficasse todo partido e que ele ia mesmo fazer-me falar. […] Então o capitão Quinhones ordenou ao tal [militante do MRPP] Jorge que pegasse num fio eléctrico e me torturasse, tendo-me este dado choques nos ouvidos, sexo e no nariz. Pela terceira vez que me fizeram isto desmaiei, pois não aguentei. Quando recuperei tornaram, o capitão Quinhones e o furriel Duarte, a agredir-me com os cinturões e a cadeira de ferro, sentindo eu nessa altura que devia estar com fractura da coluna e costelas e tinha vários ferimentos grandes em todo o corpo. Mais uma vez não aguentei e desmaiei. Ao recuperar os sentidos encontrava-me todo molhado e ensanguentado, não tinha movimentos nas pernas e quase não podia respirar além de fortes dores por todo o corpo.”

Via Corta-Fitas

1 Comentário

Filed under Comunismo, Direitos Humanos, Portugal

Mpla-Jes; caiu a màscara!..

LIBERDADE é uma coisa única, se não a tem no seu todo, não és (verdadeiramente) livre. – Martin Luther King

Finalmente estamos vendo claramente, o que sempre foi e o que é o MPLA-JES, um partido de bandoleiros, não cumpridores da lei (estatuída por eles próprios) e DITATORIAL, caiu o verniz da democracia na qual se acobertava e de ‘paladinos’ da justiça, os ultra nacionalistas, dia 5 de Março (registem essa data) arreganharam a dentuça vampírica abrindo desmedidamente as suas goelas (ainda) sedentas de sangue inocente, e trovejaram para o povo ‘coisas aterrorizantes e aterradoras’ que antes se esforçavam (embora a muito custo) por ocultar, sob o manto escarlate de uma blasfémica e extremamente corrupta promiscuidade, num esforço inútil e ridículo de manter a máscara hórrida na face horripilantemente cínica e descarada; DITADURA nua e crua.

Foram ‘eles’ que ‘construíram’ orgulhosamente sós a actual carta magna do País, espalmaram os direitos elementares do Povo, e gritaram ou melhor berraram a todos os pulmões; “Angola tem a constituição mais democrática e moderna de África e quiçá do mundo”, pagaram a peso de ouro ‘bocas de aluguer’ nacional e estrangeiro, para tecerem as mais diversas considerações (claro a favor da constituição, e do MPLA-JES) abonatórias da chamada democracia em Angola e do regime ‘em serviço’ os políticos corruptos e no desemprego em Portugal, fizeram uma vergonhosa passarela por Luanda, tecendo os mais destrambelhados cheios de bajulice elogios e nojentos a favor do MPLA-JES, ‘eles’ atropelavam-se na ‘fila’ oferecendo os seus serviços de mercenário político pelo mais baixo preço. Os jornais ou melhor a imprensa caudilhista com o JA a cabeça do bajulador comissário Ribeiro ou Justino Justo, fizeram sebento coro.

A realidade daqui para frente será abertamente ao bom estilo Estalinista, as prisões vão multiplicar-se, os assassínios impunes (começaram com a Claudeth de Andrade aos 6 de Março, – em pleno Março mulher – as 20h30 o rosto feminino da marcha programada para o dia seguinte. Nenhuma organização feminina repudiou ou condenou tal acto selvagem…Que barbaridade!) vão triplicar, e a arrogância mais desmedida será fatidicamente o “tom nosso-de-cada-dia”.

O Hulk de serviço permanente o BB, deu o mote de partida; Vigilância! (vão desenterrar as BPV de triste memória, bem como as célebres comissão popular de bairro), para TODOS vigiarem TODOS, os serviços secretos vão cadenciar a ‘dança da bufaria’ patriótica, milhões de USD vão ser desviados do erário público, para manter a cadência. Os vários órgãos dos serviços secretos nacionais, são totalmente partidário e a favor de um único homem; JES. A Segurança Nacional, entende-se por segurança do MPLA-JES, os demais que se danem, “não são Patriotas”.

A justiça é totalmente partidária, Julgamentos são efectuados na ausência de advogados legalmente constituídos pelos arguidos, desrespeitando os mais elementares preceitos de justiça, (nem na era colonial tal aconteceu) os cidadãos são condenados com bases em leis já caducas e legalmente ultrapassadas.

A polícia e as FAA que se diz ser apartidária e o garante das liberdades democráticas dos cidadãos, mostraram ser instrumentos dóceis nas ‘mãos’ (leia-se; a serviço) do MPLA-JES, cidadãos são presos ou detidos para serem aconselhados (?!) nas esquadras policiais, presumíveis vitimas de agressão (por parte de militantes do MPLA-JES) são antecipadamente presos, para que não sejam agredidos pelos ‘bons cidadãos e acatadores das leis’ (?!), cidadãos que militam em partidos da chamada oposição, são presos pelo simples facto de hastearem bandeiras de seus partidos em locais de residência ou nas sedes partidárias locais, qualquer tipo de manifestação esta proibida (conhecem alguma manifestação mais pacifica, do que a chamada greve de fome?!).

Jornalistas e líderes cívicos são abertamente ameaçados de morte, quem ousar pensar diferente é imediatamente preso e torturado, em suma é o TERROR de Maio e da sexta-feira sangrenta de volta a ‘vivo e a cores’. Insistem em fazer a interpretação da lei de acordo a sua côr partidária, persistem em afirmarem que as manifestações necessitam de autorizações antecipadas (mesmo depois da interpretação correcta do digníssimo presidente do TC), e ameaçam todos aqueles que ‘tomarem’ partido da chamada oposição ou contra os ideais do MPLA-JES, apelida-os cidadãos “não Patriotas e não acatadores da lei e desordeiros/arruaceiros”.

A polícia é utilizada abertamente como instrumento de intimidação, os serviços secretos voltaram a fazer o papel ‘pidesco’ ao bom estilo da Gestapo e da STASI.

Tudo isso porque? Porque o povo decidiu manifestar e reclamar por mais LIBERDADE, menos corrupção e melhor governação por parte dos que receberam (?!) o mandato para efectuarem a gestão da ‘coisa pública’ em benefício de TODOS.

MPLA-JES entende que tal ‘ousadia’ por parte da população é ilegal, porque JES é o garante da estabilidade nacional, e o MPLA-JES o Partido-nação, não pode ser questionado. Face a esta possibilidade de direito por parte dos cidadãos, o MPLA-JES responde com violência e arrogância desmedida, porque tal reacção da parte de um partido que diz ter conquistado nas urnas 82% dos votos de eleitores de Angola?

Os 82% dos votos das eleições de 2008 foram autenticamente fraudulentas, assim como foram as de Mubarack com 86%, por isso a razão do medo aliás do pavor, da manifestação popular independente dos “18%” que não votaram no MPLA-JES, porque no final das contas provavelmente o resultado foi inverso.

Sem meter a foice na seara alheia mas já metendo, é sintomático de que todos regimes que estão sendo contestados pela ‘fúria popular’ são regimes com mais de três dezenas de anos de poder, e que ganharam varias eleições (todas as eleições, tão logo ‘eles’ se ‘entrincheiraram’ “no cadeirão”) com maioria esmagadora, ora se assim foi porque esta maioria esmagadora não os ‘puniu’ nas urnas, porque tiveram que sair a rua?.. provavelmente o fizeram, mas a FRAUDE tratou de ocultar ‘tal verdade’ isto é a punição ou derrota.

Por isso ‘eles’ (MPLA-JES) nunca se ‘importaram’ em ‘produzirem’ mais ou melhor qualidade de vida para o povo, antes pelo contrario tomaram medidas, para aumentar desmedidamente os níveis da corrupção, da fraude, da arrogância e prepotência coarctando até os níveis mais baixo a qualidade de vida das populações, estas não vivem sobrevivem alias rastejam na mais completa mendicância, humilhação e condições sub-humanas, jamais vista no planeta, Angola localiza-se entre os Países do mundo com péssima governação, entre os Países do Mundo cujas populações vivem na maior e dolorosa miséria, neste capitulo Angola está no mesmo grupo que o Bangladesh, Haiti e Somália.

Angola é dos pouquíssimos Países do mundo que a pobreza e a miséria descem na mesma velocidade que ‘sobe’ os rendimentos da economia, tais rendimentos beneficiam apenas meia dúzia de indivíduos ligados umbilicalmente ao poder isto é a corrupção endémica.

MPLA-JES e o seu Patrono, não são diferentes dos partidos que dirigiram os Países da África do norte e arredores, que foram abalados pelo tsunami da revolução de Jasmim, e o que é mais constrangedor é que o MPLA-JES não colhe lições valiosas das causas de tal tsunami, (eles dizem Angola não é Egipto, outro disse; “…importar realidades alheias”, em Angola TODOS os cidadãos são Patriotas porque adoram JES, é caso para dizer ESTES TIPOS NUNCA APRENDEM, porque Angola é Líbia, a acção de Gaddafi contra o seu próprio povo encoraja JES e capangas.

E já começaram a marcar a cadência, o “factor” guerra, foi irresponsavelmente desenterrado e astuciosamente manipulado e requintado até ao mais ínfimo pormenor, diabolizaram até ao extremo, um dos partidos políticos e parceiro (?!) na consecução da PAZ. Apelaram cinicamente as populações para não se deixarem ‘arrastar’ NOVAMENTE para a senda da guerra, e maliciosamente acrescentaram; “tal como no passado”.

Um navio que atracou no Lobito, com armas ou munições a bordo para o governo do Kénia, foi bombasticamente tecelado apontando claramente para a UNITA, mesmo depois do governo do Kenia ter oficialmente ‘reclamado’ o seu ‘produto’, tudo isso sem nunca os falcões do MPLA-JES e toda a equipa de ‘heróis-patriotas’ virem ao público para esclarecerem as ‘coisas’ a favor da verdade e emitirem um pedido oficial de desculpas, porque este tipo de comportamento cívico e ordeiro, não faz parte da cartilha dos ‘tipos’, e quanto a verdade nunca o disseram, “porque quando eles fazem uso da mentira, fazem uso do que é natural deles”.

Tramam prisões de certos indivíduos que ‘eles’ acham ser os ‘mentores’ o ‘combustível’ das manifestações popular, esquecem-se de que tal como na Tunísia e arredores, os populares não planificaram tais manifestações, nem tiveram rostos visíveis e muito menos líderes, estes (os ‘tais’ rostos visíveis, os políticos e lideres) surgiram depois, muito depois da acção popular, ‘empurrados’ por um único motivo; BASTA DE CORRUPÇÃO, má governação e outras bestialidades (dês)governativa.

Decididamente estes tipos nunca aprendem!

“…Nós Não temos medo. Nós não temos medo. NÒS NÃO TEMOS MEDO HOJE. Bem no fundo do meu coração, eu acredito; nós ultrapassaremos algum dia”. – Extracto do hino dos escravos dos EUA.

Nguituka Salomão

Angola24horas.com

Deixe um comentário

Filed under Angola, Comunismo, Direitos Humanos

Quem não acredita no MPLA?

A UNITA diz que o MPLA está a utilizar a violência (prisões, agressões, mortes) contra os seus simpatizantes. O MPLA desmente e diz que é tudo encenação e desespero do Galo Negro. Como é óbvio, eu acreito no MPLA pelas razões que a seguir apresento.

O MPLA tem razão, desde logo porque, por exemplo, os cabindas são terroristas, tanto quanto foram os timorenses que lutaram contra o domínio colonial e ocupacional da Indonésia; tanto quanto os milhares de mortos do 27 de Maio de 1977.

Aliás, todo o mundo sabe que durante a guerra civil o MPLA só usava armas inteligentes (já para não falar dos seus militares) que distinguiam os alvos: se fossem militares… acertavam, se não fossem… desviavam. Já as da UNITA matavam tudo quanto aparecesse pela frente.

Todos sabem também que se o MPLA praticou algum tipo de terrorismo, era inequivocamente um terrorismo bom. O que se passou no dia 27 de Maio de 1977 (40 mil mortos) e até agora é prova disso.

Aliás, o terrorismo é qualificado em função do número de vítimas e de os seus dirigentes serem, ou não, primeiros-ministros ou presidentes. Por ser responsável por três mil desaparecidos, Augusto Pinochet e o seu governo são uns monstros. Já por ter morto Nito Alves e apenas mais 39 999 compatriotas, o MPLA é um exemplo para a humanidade.

Sabe-se agora que no massacre de Luanda que visou o aniquilamento da UNITA e cidadãos Ovimbundus e Bakongos, e que se saldou no assassinato de 50 mil angolanos, entre os quais o vice-presidente da UNITA Jeremias Kalandula Chitunda, o secretário-geral Adolosi Paulo Mango Alicerces, o representante na CCPM, Elias Salupeto Pena, e o chefe dos Serviços Administrativos em Luanda, Eliseu Sapitango Chimbili, foi tudo obra da própria UNITA.

Sabe-se agora que o massacre do Pica-Pau em que no dia 4 de Junho de 1975, perto de 300 crianças e jovens, na maioria órfãos, foram assassinados e os seus corpos mutilados no Comité de Paz da UNITA em Luanda… foi tudo obra da própria UNITA.

Sabe-se agora que o massacre da Ponte do rio Kwanza, em que no dia 12 de Julho de 1975, 700 militantes da UNITA foram barbaramente assassinados, perto do Dondo (Província do Kwanza Norte), perante a passividade das forças militares portuguesas que garantiam a sua protecção foi tudo obra da própria UNITA.

Sabe-se agora que o facto de mais de 40.000 angolanos terem sido torturados e assassinados em todo o país, depois dos acontecimentos de 27 de Maio de 1977, acusados de serem apoiantes de Nito Alves ou opositores ao regime foi tudo obra da UNITA.

Sabe-se agora que o facto de, entre 1978 e 1986, centenas de angolanos terem sido fuzilados publicamente nas praças e estádios das cidades de Angola, uma prática iniciada no dia 3 de Dezembro de 1978 na Praça da Revolução no Lobito, com o fuzilamento de 5 patriotas e que teve o seu auge a 25 de Agosto de 1980, com o fuzilamento de 15 angolanos no Campo da Revolução em Luanda… foi tudo obra da UNITA.

Sabe-se agora que o facto de no dia 29 de Setembro de 1991 ter sido assassinado, em Malange, o secretário Provincial da UNITA Lourenço Pedro Makanga, a que se seguiram muitos outros na mesma cidade foi tudo obra da UNITA.

Sabe-se agora que o facto de em Junho de 1994, a aviação ter bombardeado e destruido a Escola de Waku Kungo (Província do Kwanza Sul), tendo morto mais de 150 crianças e professores, foi tudo obra da UNITA.

Sabe-se agora que o facto de entre Janeiro de 1993 e Novembro de 1994, a aviação ter bombardeado indiscriminadamente a cidade do Huambo, a Missão Evangélica do Kaluquembe e a Missão Católica do Kuvango, tendo morto mais de 3.000 civis, foi tudo obra da UNITA.

Sabe-se agora que o facto de entre Abril de 1997 e Outubro de 1998, na extensão da Administração ao abrigo do protocolo de Lusaka, terem sido assassinados mais de 1.200 responsáveis e dirigentes dos órgãos de Base da UNITA em todo o país… foi tudo obra da UNITA.

Por isto tudo, quem não acredita no MPLA?

in Alto Hama

 

Deixe um comentário

Filed under Angola, Comunismo, Direitos Humanos