Category Archives: África

Assim vai a democracia em Angola.

Jornalistas do “Novo Jornal” e rapper foram libertados

Angola: pouca adesão ao protesto contra Eduardo dos Santos

07.03.2011 – 10:31 Por Ana Machado

[…]

Pedro Beirão revela um certo clima de agitação na cidade de Luanda: “As pessoas comentam muito. Não me lembro de ver tanta gente a comentar em muitos anos. E há medo”.

Leia tudo: in Público

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Angola, África, Direitos Humanos

O medo paira sobre Luanda.

Detenções em Luanda horas antes da manifestação anti-Governo

Cerca de 20 pessoas, entre eles um músico e jornalistas do Novo Jornal, foram esta madrugada detidas pela polícia em Luanda quando se concentravam na praça 1. de maio para uma manifestação anti-Governo.

O “rapper” angolano “brigadeiro Mata Frakus” e toda a equipa do Novo Jornal estão detidos no Comando Provincial de Luanda desde o início desta madrugada, segundo o portal electrónico Angola 24horas.

O Movimento para a Paz e a Democracia em Angola (MPDA) exigiu, através de um comunicado, a “libertação urgente e incondicional” dos detidos.

“Exigimos que ‘Brigadeiro Mata Fakus’ e toda a equipa do Novo jornal, nomeadamente Ana Margoso, Pedro Cardoso, Afonso Francisco e Idalio Kandé, sejam postos em liberdade antes da realização das manifestações”, refere o MPDA em comunicado ao alertar que, “caso contrário, vai tomar medidas repressivas que poderão pôr fim a diplomacia angolana no exterior”.

“O MPDA poderá proceder à convocação de uma marcha geral nos próximos dias, caso o governo corrupto não aja dentro do prazo e dentro da lei estabelecida naquela república das bananas”, acrescentou.

Ao condenar a “política de intolerância e de violação dos direitos humanos levada a cabo pelo regime ditatorial” e as “prisões arbitrárias, extrajudiciárias e todo o tipo de acção de intimidação e humilhação contra as populações angolanas”, o MPDA reiterou o apelo à população angolana a participar na manifestação convocada para hoje.

“O MPDA faz apelo às massas angolanas que, no interior e no exterior, enfrentam com bravura, coragem, determinação patriótica e heroísmo, para reiterarem o apoio aos nossos irmãos e irmãs vítimas do regime ditatorial dirigido pelo José Eduardo dos Santos”, realça o comunicado.

“Pedimos sobretudo à diáspora angolana, na Europa, nos Estados Unidos, Brasil, África do sul e na Ásia, para redobrar as suas reivindicações e acções junto da comunidade internacional para exigir a libertação urgente e incondicional dos nossos irmãos e irmãs”, acrescentou.

O MPDA considera “justas e necessárias” as manifestações dos angolanos para a “liberdade e salvaguarda da soberania da nação (angolana), desde que aquelas estejam dentro da lei e sejam aprovadas em unanimidade pelo partido da situação”.

A manifestação vai decorrer apesar das detenções, disse o coordenador do protesto citado por aquele portal.

O protesto anti-governamental, convocado anonimamente através das redes sociais, SMS e em vários sitos da Internet, está marcado para hoje em Luanda, embora responsáveis do MPLA já tenham garantido que o protesto não se vai realizar.

À Lusa, Dias Chilola, um dos organizadores, afirmou no domingo que as pessoas vão sair as ruas para se manifestarem de “forma pacífica e em liberdade”, apesar dos discursos “intimidatórios e demagógicos” que dirigentes do MPLA e governantes proferiram nos últimos dias. Discursos que, segundo angolano de 45 anos, residente em Lisboa, “já não pegam”.

“Queremos viver a democracia, mas também que a democracia chegue a nós. Que as pessoas escolhidas nos expliquem quais os passos que estão a dar no sentido de melhorar essa democracia. E é por isso que vamos marchar”, afirmou Chilola, salientando que a manifestação é “um direito democrático”.

O anúncio da manifestação levou o Governo angolano a tomar medidas para minimizar a contestação por parte das forças armadas e polícia, designadamente o pagamento de salários em atraso, envio de alimentos em falta há seis meses para casa de militares e promoção de outros oficiais.

in Sapo.pt

Deixe um comentário

Filed under Angola, África, Direitos Humanos, Fracassos, Sociedade

BRIGADEIRO MATA FRAKUZX – DIA 7 DE MARÇO

TUDO ACONTECEU NO SHOW DE BOB DA RAGE SENSE NO CÍNE ATLÂNTICO EM LUANDA…

Deixe um comentário

Filed under Angola, África, Direitos Humanos

QUANDO OS DITADORES CAEM TUDO MUDA…

Tão amigos que eram-mos!

“ONE OF THE REVOLUTIONARY ICONS OF OUR TIMES”

 


Deixe um comentário

Filed under África, Direitos Humanos, Líbia

Uma orgia de sangue, repressão e medo na Líbia

Aviões da Força Aérea atacaram manifestantes em Tripoli

por LusaOntem

Aviões da Força Aérea da Líbia bombardearam hoje manifestantes em várias zonas da capital Tripoli, noticiou a estação de televisão árabe Al-Jazira.

EUA exigem “paragem do banho de sangue inaceitável”

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, exigiu hoje “a paragem do banho de sangue inaceitável” na Líbia, realçando a sua inquietação com a situação neste país.

Influente teólogo apela ao assassínio de Kadhafi

por LusaOntem

Cadáveres nas ruas e tiroteio quase contínuo em Tripoli

por LusaOntem

A situação em Tripoli é de extrema tensão, com cadáveres espalhados pelas ruas e disparos de artilharia pesada ouvidos em várias zonas da capital da Líbia, indicaram hoje testemunhas citadas pela agência EFE. A agência cita residentes em diferentes bairros de Tripoli a indicarem que o som de tiroteio é quase contínuo e que são também ouvidos tiros de artilharia pesada.

Obs:

Deve ser distracção minha!

Mas onde estão os defensores dos oprimidos e dos Direitos Humanos… Agora?

Se bem me lembro, quando Israel repeliu a flotilha cheia de “pacifistas” que se dirigia para Gaza, não faltou um coro de protestos e manifs, a denunciar este acto bárbaro por parte de Israel.

Com este banho de sangue em curso na Líbia, onde se meteu esta mesma gente tão indignada?

Deixe um comentário

Filed under África, Direitos Humanos, Islão, Líbia

A Nova Revolução Do Povo Angolano

A manifestação anti-governamental

em Angola vai começar às zero horas

na segunda-feira, dia 7 de Março de

2011, de Cabinda a Cunene.

______________________________________________________

A NOSSA PETIÇÃO

O povo angolano exige:

1 – A saída imediata do Presidente ditador José Eduardo dos Santos, seus ministros e companheiros;

2 – A formação de uma nova ordem política, social e económica;

3 – A re-implementação das Eleições Presidenciais periódicas em nossa Constituição;

4 – A implementação de uma democracia social, que deve ter o interesse do povo angolano de coração;

5 – A formação de um novo governo com os interesses do povo angolano de coração;

6 – O estabelecimento de um sistema de administração pública transparente e responsável de todos os recursos de Angola;

7 – A priorização dos cidadãos angolanos sobre os benefícios e reconstrução social de Angola.

1 Comentário

Filed under Angola, África, Direitos Humanos

Apesar da “modernidade” da Cidade de Luanda…

Apesar da “modernidade” da Cidade de Luanda…as chuvas continuam a fazer grandes estragos.

18 Novembro 2010

Tempestade em Luanda Faz Vitimas Mortais

Cinco mortos, ruas submersas, carros soterrados e queda de árvores, fazem parte do balanço provisório das ocorrências registadas ontem, em Luanda, em consequência das chuvas que caíram com forte intensidade ao princípio da tarde e duraram cerca de quatro horas com grande intensidade.

O comandante provincial dos Bombeiros, Tito Manuel, disse que as vítimas mortais foram provocadas pelo desmoronamento de uma casa. Uma outra vítima foi electrocutada.

Os desastres mortais aconteceram nos municípios da Samba e do Cazenga.

Há muito que não chovia tanto na cidade capital. Foram mais de três horas de chuva intensa o que paralisou o trânsito e provocou graves perturbações nas actividades económicas. Já depois de parar a chuva, o trânsito continuou paralisado nas principais vias de circulação. A Avenida Deolinda Rodrigues, Eixo Viário, Via Expressa Luanda-Viana, Estrada da Samba, Avenida Marginal estiveram completamente paralisadas.

Na Rua Kima Kienda, na Boavista, um deslizamento de terras provocou danos em dezenas de viaturas e interrompeu e criou grandes constrangimentos na circulação rodoviária. Entre os automobilistas a paciência estava no limite, mas de nada adiantou procurar vias alternativas.

Todos os municípios de Luanda foram gravemente afectados pelas chuvas. Ruas cortadas ao trânsito, casas inundadas e a actividade económica paralisada.

O Caminho-de-Ferro de Luanda também sofreu danos. Uma derrocada na passagem de nível da Cipal, provocou a interrupção na circulação dos comboios o entre as estações dos Muceques e da Textang. Até à hora do fecho desta edição a circulação ainda não estava restabelecida. Os bombeiros estão a acorrer a pedidos de socorro devido às inundações.

Adalberto Ceita/Jornal de Angola

 

Deixe um comentário

Filed under Angola, África