Monthly Archives: Novembro 2011

Viva a Greve Geral!

Estou em solidariedade com os meus camaradas.

 Rua com a troika.

A macacada unida jamais será vencida!

Deixe um comentário

Filed under Humor, Política Caseira, Portugal

Vida de sindicalista não é fácil…

Foto do “Sol”

Deixe um comentário

Filed under Política Caseira, Portugal

Opinião de Rui Castro na Sábado

Rui Castro

Socialismo, uma via com custos para os utilizadores

Vivemos nos últimos 40 anos embriagados pela promessa de uma sociedade próspera e igualitária. Durante este período, com a generosidade própria de quem dispõe do que não é seu, distribuíram-se empregos – que não trabalhos -, subsídios, abonos, rendimentos mínimos ou de inserção e outras benesses tais, que nos foram mantendo apáticos e indiferentes ao que se passava à nossa volta.

Ricos e pobres, sem critério, escrutínio ou fiscalização de espécie alguma, acederam a subsídios e abonos que empobreceram o país e que, a final, não cumpriram os objectivos a que se destinavam. Os montantes, manifestamente baixos, de pouco serviram aos mais pobres, constituindo, para os mais abastados, um acréscimo injustificado e inconsequente.

Por outro lado, construíram-se auto-estradas que nos ligam hoje a sítio nenhum e que estão vazias por falta de dinheiro para pagar o combustível e as portagens. Construíram-se escolas, que estão hoje a fechar por falta de alunos, e hospitais, com semelhante destino por falta de verbas para os manter. Pelo país fora, proliferam dezenas de tribunais, incapazes de fazer a justiça que tarda.

Foram quatro décadas desbaratadas, em que se esbanjou a escassa riqueza do país, produto do nosso trabalho, e, mais grave, se hipotecou o futuro dos nossos filhos, em nome de uma falsa ideia de imediata felicidade.

Os sucessivos governos prometeram o paraíso na terra, alimentaram criteriosamente as clientelas ao ritmo cadenciado dos ciclos eleitorais e todos nós, habitualmente incréus, confiámos cegamente na oferta de saúde, educação e justiça gratuita para todos, esquecendo que um dia seríamos chamados a pagar a generosidade dos que geriram o dinheiro dos outros com a displicência própria de quem tem a consciência da irresponsabilidade dos seus actos.

Tudo foi possível, em nome de uma perseguida igualdade e de uma certa ideia bacoca de colectivismo, que, durante anos a fio, permitiu que fosse sub-repticiamente consignada uma parte considerável dos rendimentos de todos nós…e o dos nossos filhos.

Aqui chegados, verificamos que há mais desempregados, mais pobres e, pior, que endividámos as gerações mais novas e até as futuras.

Tenho para mim que a justificação do desvario que hoje nos massacra está lavrado, com as cores duras da vergonha, no preâmbulo da Constituição da República Portuguesa, quando se lê “a decisão do povo português de (…) abrir caminho para uma sociedade socialista (…)”.

Foi este socialismo, durante muitos anos travestido de social-democracia ou de outras ideologias de ocasião, que aqui nos trouxe. Este socialismo, não nos tendo levado a lado nenhum, roubou-nos a esperança de um futuro melhor.

A culpa, porém, não é só dos que fingiram governar-nos, governando-se. A culpa, infelizmente, é nossa. É de todos nós ou não fôssemos, quase todos, cúmplices por omissão deste atentado de lesa pátria. Quando oiço o Otelo ladrar por uma nova Revolução, lembro-me sempre dos que, em nome dela, praticamente acabaram com a Nação. Porque isto, meus amigos, já não é bem um país. É uma espécie de massa falida. E sem massa. Os que querem acabar com o resto, com o que falta (e falta muito pouco), estarão agora apostados em diminuir a nossa capacidade de resposta. Em fintar a nossa coesão. Na falta de uma nova Revolução, sempre se poderá lançar a confusão. Semear a barafunda e a crispação social. A desconfiança.

Quando importa erguer a bandeira da união, sempre haverá quem prefira agitar a da reivindicação, como se pudéssemos exigir tudo a um Estado que não tem nada… Isto está mal. Para piorar, venha uma Greve Geral.

Com  a devida vénia à Sábado 

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2011

Obs: 

No ponto!

Deixe um comentário

Filed under Europa, Política Caseira, Portugal

Casa Fernando Pessoa vai fechar ao sábado

Este sábado já não vai ser possível visitar a Casa Fernando Pessoa. E o número de Dezembro da revista Pessoa também não será editado. Medidas são consequência dos cortes decididos por António Costa para a Câmara de Lisboa.

O encerramento da Casa Fernando Pessoa aos sábados é uma das consequências de um despacho do presidente António Costa, que proíbe o pagamento de horas extraordinárias nos serviços e equipamentos da Câmara de Lisboa.

«Temos uma equipa reduzida que pelo menos três vezes por semana trabalha fora das horas normais, sem receber nada por isso, nos eventos que realizamos», diz a directora da Casa Fernando Pessoa, Inês Pedrosa, explicando que esse esforço era compensado «pelo pagamento feito a quem vinha abrir a casa aos sábados».

Ler no Sol 

Obs:

A Câmara Municipal de Lisboa não tem verba para manter os seus equipamentos culturais, mas tem dinheiro para dar ás fundações dos amigos do partido, como por exemplo á Fundação Mário Soares. È só um exemplo, claro não falando na Casa dos Bicos e do José Saramago e sua viúva. 

Enfim um grande Bico de Obra a gestão destes camaradas!

1 Comentário

Filed under Lisboa, Política Caseira, Portugal

Lua de Júpiter Europa tem potencial para a vida

Investigadores da Universidade do Texas confirmam que a sua cobertura gelada é dinâmica

Em determinados pontos da superfície, a camada gelada quebra-se por vezes e pode haver assim transferência de nutrientes para o interior da lua, onde existe um imenso oceano de água líquida salgada e com oxigénio. A descoberta é publicada em 16 do corrente mês na revista Nature.

Deixe um comentário

Filed under Ciência

A ignorância dos nossos universitários.

Sem comentários…

Deixe um comentário

Filed under Política Caseira, Portugal

Rafael Marques

Rafael Marques é um jornalista angolano corajoso. Considero-o um grande angolano, apesar das ameaças decidiu apresentar queixa contra dirigentes do regime angolano ou seja do MPLA.

Pode ler aqui um recente e interessante trabalho de investigação que vai ao centro da questão: «Presidência da República: O Epicentro da Corrupção em Angola»

Deixe um comentário

Filed under Angola, Democracia, Direitos Humanos