O medo paira sobre Luanda.

Detenções em Luanda horas antes da manifestação anti-Governo

Cerca de 20 pessoas, entre eles um músico e jornalistas do Novo Jornal, foram esta madrugada detidas pela polícia em Luanda quando se concentravam na praça 1. de maio para uma manifestação anti-Governo.

O “rapper” angolano “brigadeiro Mata Frakus” e toda a equipa do Novo Jornal estão detidos no Comando Provincial de Luanda desde o início desta madrugada, segundo o portal electrónico Angola 24horas.

O Movimento para a Paz e a Democracia em Angola (MPDA) exigiu, através de um comunicado, a “libertação urgente e incondicional” dos detidos.

“Exigimos que ‘Brigadeiro Mata Fakus’ e toda a equipa do Novo jornal, nomeadamente Ana Margoso, Pedro Cardoso, Afonso Francisco e Idalio Kandé, sejam postos em liberdade antes da realização das manifestações”, refere o MPDA em comunicado ao alertar que, “caso contrário, vai tomar medidas repressivas que poderão pôr fim a diplomacia angolana no exterior”.

“O MPDA poderá proceder à convocação de uma marcha geral nos próximos dias, caso o governo corrupto não aja dentro do prazo e dentro da lei estabelecida naquela república das bananas”, acrescentou.

Ao condenar a “política de intolerância e de violação dos direitos humanos levada a cabo pelo regime ditatorial” e as “prisões arbitrárias, extrajudiciárias e todo o tipo de acção de intimidação e humilhação contra as populações angolanas”, o MPDA reiterou o apelo à população angolana a participar na manifestação convocada para hoje.

“O MPDA faz apelo às massas angolanas que, no interior e no exterior, enfrentam com bravura, coragem, determinação patriótica e heroísmo, para reiterarem o apoio aos nossos irmãos e irmãs vítimas do regime ditatorial dirigido pelo José Eduardo dos Santos”, realça o comunicado.

“Pedimos sobretudo à diáspora angolana, na Europa, nos Estados Unidos, Brasil, África do sul e na Ásia, para redobrar as suas reivindicações e acções junto da comunidade internacional para exigir a libertação urgente e incondicional dos nossos irmãos e irmãs”, acrescentou.

O MPDA considera “justas e necessárias” as manifestações dos angolanos para a “liberdade e salvaguarda da soberania da nação (angolana), desde que aquelas estejam dentro da lei e sejam aprovadas em unanimidade pelo partido da situação”.

A manifestação vai decorrer apesar das detenções, disse o coordenador do protesto citado por aquele portal.

O protesto anti-governamental, convocado anonimamente através das redes sociais, SMS e em vários sitos da Internet, está marcado para hoje em Luanda, embora responsáveis do MPLA já tenham garantido que o protesto não se vai realizar.

À Lusa, Dias Chilola, um dos organizadores, afirmou no domingo que as pessoas vão sair as ruas para se manifestarem de “forma pacífica e em liberdade”, apesar dos discursos “intimidatórios e demagógicos” que dirigentes do MPLA e governantes proferiram nos últimos dias. Discursos que, segundo angolano de 45 anos, residente em Lisboa, “já não pegam”.

“Queremos viver a democracia, mas também que a democracia chegue a nós. Que as pessoas escolhidas nos expliquem quais os passos que estão a dar no sentido de melhorar essa democracia. E é por isso que vamos marchar”, afirmou Chilola, salientando que a manifestação é “um direito democrático”.

O anúncio da manifestação levou o Governo angolano a tomar medidas para minimizar a contestação por parte das forças armadas e polícia, designadamente o pagamento de salários em atraso, envio de alimentos em falta há seis meses para casa de militares e promoção de outros oficiais.

in Sapo.pt

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Angola, África, Direitos Humanos, Fracassos, Sociedade

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s