Monthly Archives: Março 2011

Un antipático contra todos

El primer ministro portugués se parece a un conductor que avanza a toda velocidad por la autopista en dirección contraria, convencido que son todos los demás automovilistas los que se equivocan. Los gobiernos europeos y las instituciones comunitarias dan por hecho que Portugal no puede salir de la crisis sin asistencia financiera, pero José Sócrates les contradice a todos diciendo que que el país puede superar sus problemas con sus propias fuerzas. Después de ser derrotado en el Parlamento ha presentado su dimisión y ha lanzado a su partido, el socialista, de frente y a toda velocidad contra la oposición liberal-conservadora, esperando que en el último momento un volantazo de buena suerte le permita dar la vuelta a las encuestas y regresar victorioso.

__oOo__

Os mimos sobre Sócrates são por demais contundentes  neste periódico espanhol. Leia o resto no link abaixo.

Via: ABC

Deixe um comentário

Filed under Cidadania, Política Caseira, Portugal

Presidente Chinês confirma conversações com Futre

Deixe um comentário

Filed under China, Cidadania, Futebol, Humor

Declarações delirantes de Paulo Futre

Mais uma anedota!

Deixe um comentário

Filed under Cidadania, Futebol, Humor

Le Flâneur– a visual project that captures Paris in a unique light.

Le Flâneur (music by The XX) from Luke Shepard on Vimeo

Deixe um comentário

Filed under Europa, Paris

Brigadeiro Mata Frakuzx -Esclarecimentos

Depois das ideias que se criaram em torno da sua personalidade, Brigadeiro Mata Frakuxz vem ao público mais uma vez para fazer alguns esclarecimentos sobre a sua intervenção e envolvimento em torno dos acontecimentos referentes aos dias 27 de Fevereiro e 7 de Março respectivamente.

 

Deixe um comentário

Filed under Angola, África, Cidadania, Comunismo, Direitos Humanos

Estudantes universitárias espanholas super progressistas!

No dia 10 de Março um grupo de meia centena de estudantes universitárias invadiu a capela da Universidade Complutense de Madrid, onde se celebrava missa.

No altar as “activistas” desnudaram-se da cintura para cima e mostraram palavras de ordem escritas no corpo: “bissexual”, “puta”, “poder ao clitóris”. Cantaram cânticos blasfemos e traziam consigo imagens do Papa Bento XVI com uma cruz suástica.

Ler tudo:  Poder do clítoris ou a cegueira do vamos a eles?

Gente esclarecida e progressista é outra coisa…

ou a ignorância no seu melhor!

Deixe um comentário

Filed under Blogs, Cidadania, Direitos Humanos, Educação, Igreja

Tortura no RALIS em Maio de 1975

Via Corta-Fitas

[…]

Em Maio de 1975, durante o glorioso PREC, Marcelino da Mata foi detido pela tropa fandanga, essa que a nossa esquerda muito aprecia ainda. Esteve preso e foi espancado no RALIS durante 6 horas, tendo sido levado para Caxias, onde foi encarcerado em regime incomunicável durante 90 dias. Descreve assim a tortura a que foi submetido peloscomissários comunistas: “Apareceu depois das 24:00 um indivíduo alto, forte e de cabelo e barba compridos que, intitulando-se segundo-comandante do RALIS – mas que depois vim a saber que se tratava de um militante do MRPP conhecido por Ribeiro –, me estendeu um papel para aí eu escrever tudo o que sabia sobre o ELP. […] Uma vez que jamais tinha ligação com o ELP ou qualquer organização outra, respondi-lhes negativamente. […] o capitão Quinhones ordenou que me fossem batendo à bruta até que eu confessasse. Apareceu então o [comandante do RALIS] tenente-coronel Leal de Almeida que [apesar de muito bem conhecer da Guiné o deponente] me disse que os pretos só falavam quando levavam porrada e eram torturados, e que não tinha outra solução senão ordenar que me fizessem isso.

Ordenou o capitão Quinhones que me encostassem à parede e despisse a camisa, o que tive de fazer. Após isto, fui agredido sete vezes com uma cadeira de ferro nas costas, o que me provocou vários ferimentos. Não resistindo caí, mas o capitão Quinhones disse que me pusesse de joelhos e um outro indivíduo que entrou intitulando-se oficial de marinha, agrediu-me mais duas vezes com a cadeira. Após isto o capitão Quinhones e o furriel Duarte, um de cada lado, agrediram-me com o cinturão por todo o corpo e eu, que já sentia dores na coluna, senti dores nas costelas e caí novamente no chão. O capitão Quinhones ria-se e dizia que o tenente-coronel Leal de Almeida queria que eu falasse nem que eu ficasse todo partido e que ele ia mesmo fazer-me falar. […] Então o capitão Quinhones ordenou ao tal [militante do MRPP] Jorge que pegasse num fio eléctrico e me torturasse, tendo-me este dado choques nos ouvidos, sexo e no nariz. Pela terceira vez que me fizeram isto desmaiei, pois não aguentei. Quando recuperei tornaram, o capitão Quinhones e o furriel Duarte, a agredir-me com os cinturões e a cadeira de ferro, sentindo eu nessa altura que devia estar com fractura da coluna e costelas e tinha vários ferimentos grandes em todo o corpo. Mais uma vez não aguentei e desmaiei. Ao recuperar os sentidos encontrava-me todo molhado e ensanguentado, não tinha movimentos nas pernas e quase não podia respirar além de fortes dores por todo o corpo.”

Via Corta-Fitas

1 Comentário

Filed under Comunismo, Direitos Humanos, Portugal